19/07/2023 às 17h49min - Atualizada em 19/07/2023 às 17h49min

10ª Bienal Internacional do Livro conta parceria do Governo de Alagoas

Vice-governador Ronaldo Lessa prestigiou o lançamento oficial da programação do maior evento literário do estado

Governo de Alagoas
Ronaldo Lessa representou o governador Paulo Dantas no lançamento oficial da programação
Alexandre Câmara / Ascom vice-governadoria

O vice-governador Ronaldo Lessa representou Paulo Dantas, nesta terça-feira (19), no café da manhã de lançamento da programação da 10ª Bienal Internacional do Livro, que acontece entre os dias 11 e 20 de agosto, no Centro de Convenções, em Jaraguá. O evento terá como tema: Defender a Vida, Proteger o Planeta e Humanizar a Sociedade e contará com uma vasta programação.



O maior evento literário e cultural de Alagoas vai homenagear os 130 anos de Jorge de Lima e terá como patrono o cineasta Cacá Diegues. A bienal é uma promoção da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e do Governo de Alagoas, com apoio de outros parceiros. Ronaldo Lessa falou sobre o papel do Estado em apoiar eventos dessa envergadura.

“O papel do governo é esse; ele é instrumento incentivador de grandes iniciativas que a sociedade apresenta. A Bienal já foi um sucesso, é um sucesso e desperta a necessidade de tratar questões históricas, do livro e da cultura da nossa terra. É importante também porque, mesmo temporariamente, gera empregos, valoriza os escritores e incentiva os estudantes na área de literatura”, disse Lessa.

 

A expectativa dos organizadores é que esta edição atraia cerca de 400 mil pessoas, entre autores, editores, livreiros, intelectuais, artistas, professores e alunos de escolas públicas e privadas de Alagoas e de outros estados, além da sociedade em geral. A bienal vai contemplar o lançamento e exposição de obras literárias de dezenas de escritores alagoanos e gerar em torno de 700 empregos durante o evento. Uma previsão para movimentar cerca de R$ 5 milhões e capacitar mais de 10 mil pessoas em oficinas e jornadas literárias.


Além da parceria na organização, o Governo do Estado vai promover o lançamento de 30 livros de escritores alagoanos, desses, sete são de autoria feminina. “Isso mostra o potencial intelectual de Alagoas. Não é à toa que nós tivemos grandes escritores como Graciliano Ramos e Jorge de Lima. É preciso valorizar a prata da casa. Outro fato importante é o papel da mulher nesse processo, são sete escritoras, isso mostra o momento que a gente está vivendo; o empoderamento, e a presença, por exemplo, de mais mulheres que homens nas universidades. É uma mostra que há desenvolvimento em Alagoas”, avaliou o vice-governador.

 

O reitor da Ufal, Josealdo Tonholo, ressaltou a importância da Bienal para o setor acadêmico e para a sociedade alagoana. “É o momento da retomada, o momento em que o Estado de Alagoas se reposiciona com relação à cultura, depois da pandemia que nos impediu de fazer a última Bienal, no ano de 2021. Numa participação ativa de todas as faculdades públicas e privadas, que entendem a importância de resgatar o livro, resgatar a arte, resgatar a cultura como elemento de sustentação dos pilares da nossa sociedade. É assim que é o estado de Alagoas, um estado vivo”, afirmou Tonholo.

A organizadora geral do evento Sheila Maluf, que está em sua 5ª edição, comemorou a parceria Governo do Estadual e pioneirismo da Ufal na realização de um evento nessas proporções. “Essa história começou lá atrás, ainda no governo Ronaldo Lessa e agora estamos na décima edição. A Ufal é a única universidade pública brasileira a realizar uma bienal de livro e isso só foi possível, desta vez, por conta da participação do governo de Alagoas. Foi perfeita essa parceria e a gente vai conseguir apresentar uma linda Bienal, uma linda festa do livro para vocês”, enfatizou Sheila Maluf. 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
O Fato Publicidade 1200x90
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp