10/07/2015 às 17h21min - Atualizada em 10/07/2015 às 17h21min

Servidores da rede estadual de ensino deflagram greve por tempo indeterminado

Paralisação vai acontecer a partir da próxima quinta-feira

SINTEAL

Em clima de indignação, as/os trabalhadoras/es da rede estadual de Educação, em assembleia geral realizada na manhã desta 6ª feira (10/07), na sede do Sinteal, no Mutange, decidiram entrar em greve por tempo indeterminado a partir da próxima quinta-feira (16). Em campanha salarial pela aplicação do reajuste de 13,01% para toda a categoria, e por outros pontos de pauta, que incluem reformulação do Plano de Carreiras e convocação de concursados, a categoria cansou das muitas rodadas de negociação sem avanços, disse “NÃO” à irreal proposta de 7% (parcelados em 03 vezes) do governo, deflagrando a justa greve e aprovando uma agenda de mobilizações públicas em Maceió e em várias cidades do interior do estado.

 

O Sinteal, que participa do movimento unificado dos servidores públicos estaduais, que reúne diversas categorias – organizadas pela CUT – para o enfrentamento com o governo estadual, sempre alertou a sociedade sobre o fato de que, durante as eleições, o ainda candidato Renan Filho prometia em discursos de palanque e em propagandas de campanha “priorizar a educação e os servidores públicos”. A verdade veio à tona muito rápido, e é a seguinte: o Governo Renan Filho NÃO CUMPRIU a PALAVRA! Senão, vejamos: a data-base da rede estadual é maio, e a primeira proposta só foi apresentada pelo governo em junho. As rodadas de negociação seguintes trouxeram poucos avanços, apesar dos estudos apresentados pelo Sinteal ao governo provarem que a educação tem recursos suficientes para aplicar o reajuste exigido.

“A situação é grave, e a solução é greve! Já esperamos tempo demais. Este governador está brincando com os servidores públicos. Ele aprofundou a crise na educação”, afirmou Consuelo Correia. A proposta de greve foi aprovada pela plenária, assim como um primeiro calendário de mobilizações, que acontecerão em Maceió e no interior, a partir do próximo dia 16/07 (5ª feira).

J

Já no dia 17/07 (6ª feira) acontecerá um ato público conjunto com as outras categorias de servidores estaduais, organizado pela CUT, que relembrará o histórico 17 de julho de 1997 (quando houve a queda do Governador Divaldo Suruagy), momento para um protesto de peso dos trabalhadores e trabalhadoras em Alagoas contra o “governo” Renan Filho.

Link
Notícias Relacionadas »

Você é a favor da retirada da BRASKEM de Maceió?

77.5%
22.5%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp