30/04/2016 às 18h47min - Atualizada em 30/04/2016 às 18h47min

Criança morre em parto na Santa Mônica após suposto procedimento inadequado

Segundo família da paciente, médica teria subido na barriga dela para forçar parto normal

O Fato com GAZETAWEB

Uma criança recém-nascida teria morrido na noite de sexta-feira (29), na Maternidade Escola Santa Mônica, depois de um procedimento inadequado realizado no hospital. Segundo a família da paciente, a equipe forçou um parto normal em Ana Paula da Conceição mesmo ela não tendo passagem e uma das médicas teria chegado a subir na barriga dela.

A sobrinha de Ana Paula, Mayara dos Santos, conta que a tia chegou à Santa Mônica depois de passar pela Maternidade Nossa Senhora da Guia, ligada à Santa Casa. A unidade estaria sem vagas e, após examinar a paciente, uma das médicas fez o encaminhamento e recomendou a cesariana.

"Minha tia chegou na Santa Mônica e mostrou o documento dizendo que ela deveria fazer uma cesariana porque não tinha passagem para a bebê sair. Levaram ela para a sala de parto com quatro médicas, que ficaram forçando para a bebê sair. Uma delas subiu até na barriga da minha tia, que pediu pelo amor de Deus para ela sair porque estava ficando sem fôlego".

De acordo com Mayara, após o procedimento e diversos empurrões na barriga de Ana Paula, a criança começou a nascer, mas um dos ombros teria ficado preso devido à pouca dilatação para o parto. A equipe teria começado, então, a puxar a recém-nascida pela cabeça na tentativa de que ela nascesse.

"A bebê era bem branquinha e puxaram tanto a cabeça dela que ficou até roxa. Quando ela saiu, já estava morta, mas ela não chegou na maternidade assim, poque logo que minha tia deu entrada examinaram ela e a bebê estava com os batimentos cardíacos normais", aponta a sobrinha.

Ela acrescenta que a tia, que tem 38 anos e já possui um filho de oito anos, ainda está internada na unidade devido a muitas dores na região da barriga e só deve receber alta na terça-feira. Agora a família diz que espera por Justiça e pretende processar a Santa Mônica.

"As médicas que mataram a filha da minha tia. A gente pretende correr atrás por Justiça. Isso é uma irresponsabilidade. Minha tia não tinha passagem para parto normal e elas, acho que com preguiça de fazer a cesariana, ficaram forçando. Vamos entrar na Justiça e correr atrás dos nossos direitos".

A assessoria da Maternidade Escola Santa Mônica informou  que, após uma denúncia formal da família, o caso deve ser investigado pela Comissão de Investigação de Óbito Materno-Infantil. O comitê analisa prontuários e ouve funcionários para um parecer sobre os acontecimentos.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »

Você é a favor da retirada da BRASKEM de Maceió?

79.0%
21.0%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...