21/04/2016 às 18h00min - Atualizada em 21/04/2016 às 18h00min

Em meio a manifestações, Michel Temer desiste de permanecer em São Paulo

Presidente em exercício viajou para Brasília na tarde desta quinta-feira

O Fato com Jornal do Brasil

Depois de garantir na manhã desta quinta-feira (21) que permaneceria em sua residência, em São Paulo, alegando que não tinha compromissos oficiais em sua agenda, Michel Temer, que assume interinamente a presidência devido à viagem da presidente Dilma Rousseff a Nova York, decidiu embarcar para Brasília nesta tarde, por questões de segurança.

Temer está em sua residência, em São Paulo, desde o início da semana, mas, orientado pelo serviço de segurança da Presidência, decidiu retornar para a capital federal. Um dos motivos é que a casa de Temer, em São Paulo, está localizada em um bairro residencial, no Alto de Pinheiros, e a presença do presidente em exercício, rodeada de jornalistas, atrapalha a tranquilidade da vizinhança.

Presidente interino, Temer havia comunicado anteriormente que não deixaria São Paulo

Presidente interino, Temer havia comunicado anteriormente que não deixaria São Paulo

Presidente interino, Temer havia comunicado anteriormente que não deixaria São Paulo

Segundo um dos assessores de Temer, ele deve seguir para o Palácio do Jaburu, onde deve permanecer até a volta da presidente Dilma Rousseff, que viajou hoje para os Estados Unidos. O assessor não confirmou se a decisão de Temer voltar para Brasília tenha sido motivada por um protesto que ocorreu nesta quinta-feira, em frente à sua casa. 

Pela manhã, por volta das 8h, cerca de 80 manifestantes do movimento Levante Popular da Juventude fizeram um ato, que eles chamam de “escracho, na frente da residência de Temer”. O grupo pichou a rua com a mensagem “QG [quartel general] do Golpe”, espalhou cartazes pelo chão com imagens da Constituição e da foto de Temer com a mensagem “Temer golpista” e falsas notas de 1 dólar, com a imagem do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Durante o ato, eles gritaram “não vai ter golpe”. O ato durou cerca de uma hora.

Levante Popular da Juventude realizou protesto contra articulações na frente da casa do vice

Levante Popular da Juventude realizou protesto contra articulações na frente da casa do vice

Levante Popular da Juventude realizou protesto contra articulações na frente da casa do vice

Após os manifestantes terem deixado o local, a Polícia Militar chegou e começou a instalar cercas em frente à casa de Temer para isolar a residência. Equipes da limpeza pública da prefeitura de São Paulo também estiveram no local a fim de recolher os papeis que foram trazidos pelos manifestantes e lavar a rua, onde havia pichação.

A presença de Temer atraiu vários curiosos, alguns vizinhos, vez por outra, paravam ao lado das dezenas de jornalistas para tirar fotos. Houve também os quem passavam pelo local gritando palavras de apoio ou contra Temer.

Durante a manhã, Temer recebeu a uma única visita, a de Moreira Franco, ex-ministro da Aviação Civil. Ele chegou por volta das 10h15.

>>Raimundo Lira diz que terá conduta suprapartidária na comissão

>>Moreira Franco diz que reunião com Temer foi para trocar algumas ideias

Protesto

De acordo com Larissa Sampaio, uma das integrantes do movimento Levante Popular da Juventude, o ato hoje foi para chamar a atenção para o que eles consideram de golpe contra a presidenta da República, Dilma Rousseff. O protesto, segundo ela, deve se repetir contra os políticos que o movimento entende como “articuladores do golpe”. “Estamos convocando a juventude a escrachar esses golpistas. Hoje, no Ceará, vai ter um [ato] e, até o dia 27 de abril, todos esses deputados e articuladores [do golpe] tomem cuidado porque sabemos onde eles estão e vamos escrachá-los”.

*Com Agência Brasil


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »

Você é a favor da retirada da BRASKEM de Maceió?

79.0%
21.0%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...