O Fato Publicidade 1200x90
27/05/2024 às 18h11min - Atualizada em 27/05/2024 às 18h11min

JHC dá Patrocínio de R$ 280 mil para evento com esposa de Rodrigo Cunha, mas não paga artistas locais

Agência de Notícias
Foto: Reprodução
A Prefeitura de Maceió destinou R$ 280 mil em patrocínio para o São João da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Alagoas (OAB-AL), conforme publicado no Diário Oficial no dia 24 de maio deste ano. Curiosamente, o convênio entre o município e a OAB-AL foi oficializado no mesmo dia da realização do evento.

"O presente Termo de Convênio tem a vigência até a data da realização do evento, nos dias 24 e 25 de maio de 2024, podendo ocorrer sua prorrogação em caso de adiamento", diz um trecho da publicação. O objetivo do convênio, segundo a publicação, foi "patrocínio para a realização de festa junina em Maceió, com temática inclusiva envolvendo atrações locais e nacionais, organizado pela OAB-AL".

O São João da Ordem deste ano contou com apresentações de Dorgival Dantas, Walkyria Santos e Millane Hora. Esta última foi a única atração local e é esposa do senador Rodrigo Cunha (Podemos), aliado político do prefeito João Henrique Caldas (JHC) do PL.

O convênio foi firmado pela Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC), presidida por Myriel Cavalcanti, ex-assessor de Rodrigo Cunha, que teria sido indicado para o cargo pelo senador.

Enquanto a gestão de JHC investe significativamente em eventos patrocinados como o da OAB-AL e na contratação de artistas nacionais, artistas locais denunciam a falta de pagamento por serviços prestados ao município. A Mídia Caeté destacou em um artigo recente, intitulado "Prefeitura de Maceió não cumpre acordos, segue atrasando pagamentos de artistas e continua sua guinada contra a cultura local", que diversos grupos culturais estão sem receber pelos trabalhos contratados e enfrentam uma ausência de respostas claras por parte da administração municipal.

A dotação orçamentária foi classificada sob Fomento à Cultura, o que gerou ainda mais críticas, dado que artistas locais continuam sem receber pelo trabalho realizado em eventos anteriores. Além disso, o São João da Ordem foi uma festa de caráter privado, restrita a advogados e seus acompanhantes, com vendas de ingressos.

O apoio a um evento que inclui a participação de Millane Hora, esposa de um senador aliado do prefeito, enquanto artistas locais enfrentam dificuldades financeiras devido à falta de pagamento, evidencia um contraste preocupante na gestão cultural da cidade. Representantes dos grupos culturais afetados esperam uma solução rápida e transparente da prefeitura para evitar maiores danos à cena artística de Maceió.

A situação atual levanta questões sobre as prioridades da administração municipal e seu comprometimento com a cultura local. A transparência e a justiça no tratamento dos artistas e eventos culturais são essenciais para o desenvolvimento e valorização das artes na cidade.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp