05/12/2015 às 10h54min - Atualizada em 05/12/2015 às 10h54min

Maceió comemora 200 anos de vida com desfile, show e missa

O Fato com Gazetaweb

Maceió completa 200 anos de vida e comemora seu aniversário com corrida, celebração religiosa, desfile e show durante este sábado (5), nos bairros de Cruz das Almas, Centro, Pajuçara e Jaraguá. Considerada a "princesinha do mar", a cidade inteira já decorou a letra que presenteia todos os maceioenses. E nada melhor do que relembrá-la na voz do compositor alagoano Júnior Almeida: "Ô, Maceió, parabéns para você agora, com seus 200 anos de história. Com seus 200 anos de amor". 

O roteiro de atrações tem início às 7h30, com o Circuito Popular de Corrida de Rua na Avenida Josepha de Mello. Às 10h, haverá a missa solene na Catedral Metropolitana em comemoração aos 200 anos e, no mesmo horário, desfile de velas na enseada de Pajuçara. Já as 15h, haverá apresentação da esquadrilha da fumaça, seguida do desfile cívico na Avenida Doutor Antônio Gouveia, na orla de Pajuçara. 

À noite, às 19h, haverá a exibição de imagens projetadas no edifício histórico da Associação Comercial de Maceió, no Jaraguá. Através de alta tecnologia, imagens que representam a cultura da cidade serão projetadas em três dimensões, proporcionando uma exibição interativa onde as projeções dialogam com o público como se vivas nas estruturas do prédio centenário. 

A programação tem continuidade com o show "Maceió Meu Xodó", às 20h, com o maior espetáculo de artes cênicas já visto na capital, reunindo mais de 300 artistas alagoanos em uma grande celebração cultural em homenagem ao bicentenário. O espetáculo traz um resumo da produção cultural da cidade, das tradições populares às manifestações mais contemporâneas, Para isso, os artistas contarão com uma estrutura grandiosa com palco, passarelas, elevador para momentos apoteóticos e guindaste para operação de elementos cenográficos. Um grande show pirotécnico encerra a festividade às 22h. 

Em entrevista à Gazetaweb, o prefeito Rui Palmeira (PSDB) fez uma breve avaliação de Maceió ao comentar que este ano foi difícil, mas, mesmo assim, importantes obras em diversas áreas foram feitas e entregues ao longo do ano. O Município busca, agora, dois grandes empréstimos junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e Banco de Desarrollo de América Latina (CAF), de aproximadamente R$ 600 milhões para investir na reurbanização da orla lagunar e na infraestrutura de toda a capital. 

Além disso, o resgate cultural foi mencionado pelo prefeito como outro desafio em sua gestão, já que o aspecto cultural vem se perdendo com o tempo. Porém, desde o início do mandato, Rui destacou que o folclore e o Bumba-Meu-Boi retomam seu espaço, recebendo os aplausos da população maceioense. "Assim como o folclore, a Educação é a principal preocupação porque é o que impulsiona o desenvolvimento do indivíduo, reduzindo, assim, a desigualdade social", disse Palmeira. 

Maceió daqui a 25 anos

 

Plano Diretor traz planejamento para 25 anos

FOTO: DIVULGAÇÃO

Segundo o secretário municipal de Planejamento, Messias Costa, a cidade vive um processo de revisão de seu Plano Diretor, o instrumento capaz de orientar o desenvolvimento territorial. Tal plano é trabalhado para os próximos 10 anos e faz parte de um amplo estudo denominado Maceió + 25, que remete a um planejamento estratégico para 25 anos. 

 

O Plano Diretor trabalha sob três linhas de ação: Ambiente e paisagem, Uso e ocupação do solo e Mobilidade e centralidades. O primeiro diz respeito à preservação dos mananciais e da balneabilidade; o segundo ao uso e ocupação do solo (adensamento e reabilitação), ou seja, atrair a população para que resida em um ponto específico da capital, potencializando a economia e reabitando a parte baixa, inclusive, bairros históricos que foram abandonadas com o passar dos anos, como o Centro e o Jaraguá. Consequentemente, o resgate cultural da cidade. Já o terceiro ponto corresponde à mobilidade e centralidade, através do incentivo na utilização de transporte público - com a implantação de corredores exclusivos -, e transporte não motorizado. 

"O plano está sendo revisado desde outubro e, agora, precisamos buscar embasamento jurídico e consulta política para realinhar os trabalhos. É um grande projeto para potencializar a nossa cidade, que é periférica, isto é, as pessoas moram longe das oportunidades, e sem memória, tendo em vista a perda de valores culturais. Queremos, portanto, uma Maceió compacta e mais igualitária", explicou o secretário, falando que a cidade precisa acabar com a ocupação irregular nas grotas, otimizar o saneamento básico - que cobre apenas 30% da capital -, e reduzir a desigualdade social. 

Um pouco da história

"És, Maceió, altiva e majestosa, feliz nascente entre a lagoa e o mar. Ao lado da capela milagrosa, de um velho engenho pobre e secular". Com este pequeno trecho do hino de Maceió, já se tornam perceptíveis os prazeres que esta cidade reserva e que jamais deixou de ser "o paraíso das águas", onde repousam a lagoa e o mar, ainda que tenha agregado problemas em dois centenários de história. Maceió tem uma população estimada de 1.013.773 milhão. 

 

Professor Sávio Almeida fala das disparidades de Maceió

FOTO: JOBISON BARROS

Gazetaweb conversou com o professor Sávio Almeida, que leciona no curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Segundo ele, a existência de Maceió remete à pauta de exportação da economia, assumindo a condição de cidade por volta da década de 50 do século XIX. "Hoje, temos duas Maceiós: a de dentro e a de fora. A primeira pautada sobre os fundamentos da formação histórica e a segunda pela recente composição do capital que institucionaliza o território chamado de orla", disse o historiador. 

 

O professor Sávio acrescentou, ainda, que, após um século de existência, Maceió vê-se com sérios problemas urbanos, especialmente pelas migrações que forçam a disponibilidade urbana de geração de renda. Atualmente, segundo reforça o historiador, Maceió é uma cidade cercada pela segregação social. "Costumo dizer que a cidade é um grande crematório de pobres. Maceió teve seu desenvolvimento pautado pela insuficiência de renda e especulação imobiliária", assinala Almeida, acrescentando que, mesmo diante do problema da desigualdade social, ainda há o que se comemorar  porque, simplesmente, "o maceioense conseguiu sobreviver".

 

 

Maceió completa 200 anos nesse sábado

FOTO: DIVULGAÇÃO

 

 

 
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »

Você é a favor da retirada da BRASKEM de Maceió?

80.2%
19.8%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...