04/05/2018 às 00h50min - Atualizada em 04/05/2018 às 00h50min

Gleisi Hoffmann e Jaques Wagner visitam Lula em Curitiba

O Fato com JB

A Justiça Federal autorizou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a receber visitas de amigos e aliados políticos às quintas-feiras, dia reservado para familiares, segundo informações da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Na tarde desta quinta-feira, 3, a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hofmann (PR), e o ex-ministro Jaques Wagner foram autorizados a estar com Lula.

Separadamente, os dois conversaram com o ex-presidente. Os petistas destacaram que Lula está "muito preocupado com a situação do Brasil". "Ele se disse 'desconjurado' com a situação da economia brasileira", afirmou Gleisi. 

Lula teria pedido à senadora para que ela passasse, em entrevista, a "reflexão de alguns dados". O ex-presidente "pediu para relembrar que nos governos PT a dívida pública era de 59% do PIB e caiu para 39%. Como eles justificam a dívida ter pulado para 52% agora?", indagou. Bolsa família, investimentos e consumo também estiveram, de acordo com Gleisi, na pauta da conversa de cerca de 45 minutos com Lula.

Na tarde desta quinta-feira, 3, Gleisi Hoffmann e Jaques Wagner visitaram ex-presidente Lula na prisão

"Não discutimos sobre o seu processo, sobre o enfrentamento que ele tem que fazer. Ele disse que fica pensando no Brasil o tempo inteiro, e isso é um dos fatores motivadores para que ele seja candidato à presidente", frisou a presidente nacional do PT. Quando perguntada sobre a sala especial onde Lula está preso, Gleisi foi enfática: "O problema não é esse. É que ele não deveria estar onde está", garantiu. "O presidente Lula é grande demais para estar preso", completou, desviando novamente o assunto para a pauta econômica. 

Jaques Wagner desconversa sobre candidatura própria e apoio à Ciro 

Jaques Wagner também conversou com Lula. "Ele ainda não se conforma por ter sido condenado sem provas", destacou o ex-ministro. "O presidente Lula é um homem muito forte, muito determinado. Por isso enfrentará essa [prisão] pelo povo brasileiro", disse. "Ele é um apaixonado por gente", reiterou.

"Aqui no PT, pelo menos, não tem plano A e nem B. Vamos com ele até o fim da linha", garantiu Wagner. O ex-ministro é apontado como uma das alternativas do partido para a disputa da Presidência da República. Na última terça-feira, 1º, admitiu, inclusive, que a sigla pode aceitar ser vice de Ciro Gomes (PDT).

"Se acontecer a interdição [da candidatura] dele vamos discutir mais lá na frente", desconversou quando perguntado se teria discutido com Lula uma chapa encabeçada por Ciro. "Ciro não é pauta do PT e nem da conversa", reforçou Gleisi Hoffmann.

O Lula me conhece muito bem. Sabe que estou com ele até o fim da linha", garantiu o ex-ministro. Sou amigo do lula há 40 anos. A gente tem uma amizade de família muito grande", reforçou.

A autorização para a visita de amigos e aliados veio da juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara de Execuções Penais de Curitiba, de acordo com a PF em Curitiba. Serão permitidas visitas de duas pessoas autorizadas pelo ex-presidente através de sua defesa toda quinta-feira, por uma hora de duração. Segundo Gleisi Hoffmann, ainda não se sabe quem visitará Lula na próxima semana.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »

Você é a favor da retirada da BRASKEM de Maceió?

78.8%
21.2%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...