02/08/2017 às 10h28min - Atualizada em 02/08/2017 às 10h28min

Ministros alagoanos são exonerados para votar a favor de Michel Temer

Além de Beltrão e Quintella, mais oito ministros voltaram ao cargo de deputado para participar da votação

O Fato com Gazetaweb

Os ministros Marx Beltrão, do Turismo, e Maurício Quintella, dos Transportes, Portos e Aviação Civil, foram exonerados dos cargos e voltam ao mandato na bancada federal. A estratégia foi adotada para que eles e mais oito ministros, que também são deputados federais, possam votar a favor do presidente Michel Temer (PMDB), denunciado por corrupção passiva pelo Ministério Público Federal (MPF). 

As exonerações estão publicadas no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (2). 

A previsão é que a Câmara dos Deputados vote nesta quarta-feira a admissibilidade ou não da denúncia contra Michel Temer. O início da sessão está marcado para as 9h e a votação deve ocorrer durante todo o dia. 

Além dos ministros alagoanos, foram exonerados os seguintes parlamentares:  Antonio Imbassahy, chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República; José Mendonça Filho, do Ministério da Educação; Bruno Cavalcanti Araújo, do Ministério das Cidades; Fernando Bezerra, do Ministério de Minas e Energia; Osmar Terra, do Ministério do Desenvolvimento Social; Leonardo Picciani, do Ministério do Esporte; e José Sarney Filho, do Ministério do Meio Ambiente; Ronaldo Nogueira, do Ministério do Trabalho.  

Para iniciar a discussão, a Câmara precisa apresentar pelo menos 52 deputados. A votação, por sua vez, só poderá ter início com a presença de 342 parlamentares. Todas as chamadas serão nominais e começarão com deputados de um estado da Região Norte, e logo após, com os deputados de um estado da Região Sul.  

O acesso só será permitido a deputados, ex-deputados, servidores credenciados e à imprensa credenciada para a cobertura das atividades da Câmara.


Link
Notícias Relacionadas »

Você é a favor da retirada da BRASKEM de Maceió?

80.5%
19.5%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...