13/01/2017 às 18h31min - Atualizada em 13/01/2017 às 18h31min

Soldado da PM é preso suspeito de homicídios, tráfico, extorsão e ameaças

Alexandre Ramalho foi comunicado da prisão enquanto estava de serviço no 1º Batalhão; maconha teria sido encontrada no armário dele

O Fato com Agência

Um soldado da Polícia Militar de Alagoas, lotado no 1º Batalhão, e que é suspeito de integrar um grupo acostumado a cometer homicídios, extorsões, tráfico de drogas e ameaças a empresários, foi preso no começo da tarde desta sexta-feira (13), em cumprimento a mandado de prisão expedido pelos juízes da 17ª Vara Criminal da Capital, privativa do Combate às Organizações Criminosas. 

O pedido de prisão em desfavor de Alexandre Ramalho foi feito pelos promotores que integram o Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc), do Ministério Público Estadual (MPE). A solicitação era fundamentada em uma investigação prévia que encontrou indícios de envolvimento do PM em ações cometidas por uma quadrilha já monitorada.

O militar foi comunicado da existência do mandado de prisão enquanto estava de serviço, na sede do 1º Batalhão de Polícia Militar (BPM). Há informações, obtidas com exclusividade pela Gazetaweb, de que foram encontrados 300 gramas de maconha no armário do policial. 

Alexandre Ramalho foi levado para a sede da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic), onde foi ouvido pelo delegado Guilherme Iusten, responsável pela investigação do caso. O delegado confirmou a prisão do PM e que ele seria levado para o Presídio Militar, no sistema prisional. De acordo com o delegado Iusten, a operação ainda continua, assim como a investigação do caso.

Também confirmou que o policial é suspeito de pertencer ao mesmo bando composto pelos ex-policial civil Miguel Rocha Lima, preso de novo, no último fim de semana, escondendo duas armas de fogo, dentro de um bar; e de Valdomiro Rego Breda, de 33 anos, conhecido como "Robertinho", assassinado a tiros na quarta-feira desta semana, com 11 tiros, no bairro do Farol, em Maceió. 

Miguel foi condenado, no ano de 2009, pelo assassinato do comerciante e professor de Artes Marciais Marcos Antônio Dias Alves Filho, de 44 anos, conhecido como 'Marcos Karatê', crime ocorrido em 2007 numa lan house. E Robertinho era acusado de tramar o assassinato do ex-delegado da Polícia Civil de Alagoas, Marcílio Barenco.

GAZETAWEB


Link
Notícias Relacionadas »

Você é a favor da retirada da BRASKEM de Maceió?

79.0%
21.0%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...