23/12/2016 às 19h30min - Atualizada em 23/12/2016 às 19h30min

Funai condena divulgação de fotos de tribo indígena isolada do Acre

O Fato com Agência
Fotógrafo em helicóptero faz registro da tribo \'Índios do Maitá\', que vive isolada em floresta no Acre; os índios identificaram uma possível ameaça e atiraram dezenas de flechas na tentativa de afastar a aeronave (Crédito: Ricardo Stuckert)

 

A Funai (Fundação Nacional do Índio) divulgou nota nesta sexta-feira (23) condenando a divulgação de fotos de uma tribo indígena isolada do Acre.

Os registros foram feitos pelo fotógrafo Ricardo Stuckert, que viajava de helicóptero com o sertanista José Carlos Meirelles e encontrou a tribo acidentalmente, próximo à fronteira com o Peru. Eles tentavam chegar à aldeia Caxinauá. As imagens foram inicialmente publicadas no site da revista americana "National Geographic" e depois foram divulgadas por outros veículo de imprensa, inclusive a Folha.

A Funai criticou as decisões de expor os índios publicamente e de sobrevoar a tribo de helicóptero.

"A reportagem demonstra desrespeito aos povos indígenas isolados ao expor publicamente indígenas que se mantêm em isolamento por decisões próprias. O teor invasivo do sobrevoo e, consequentemente, das fotografias pode ser percebido no semblante de terror dos indígenas e na postura de ataque ao empunhar arcos e flechas contra a aeronave", disse o texto da fundação.

A nota da instituição também rebateu o entendimento de Meirelles, segundo o qual a divulgação das imagens pode beneficiar os índios.

"A instituição refuta argumentos que defendem que esse tipo de trabalho pode, de alguma maneira, contribuir para a defesa dos povos em questão, uma vez que atende somente aos interesses de venda de notícias sensacionalistas, não segue estratégias de proteção territorial e se omite diante dos direitos dos povos indígenas", argumentou.

Na ocasião da divulgação das fotos, o próprio Meirelles disse que o sobrevoo de helicóptero era uma agressão. "Por isso, a gente toma o cuidado de não voar baixo para não assustar tanto. Por outro lado, o mundo precisa saber que eles existem e que precisamos de políticas para conservá-los", disse o sertanista, que trabalhou para a Funai durante 40 anos.

De acordo com a fundação, o trabalho de Stuckert e de Meirelles "foi realizado à revelia dos trâmites necessários".-

Leia a íntegra da nota:

A Funai vem a público manifestar-se diante da reportagem veiculada pela National Geographic, "Stunning New Photos of Isolated Tribe Yield Surprises", repercutida por diversos meios de comunicação, na qual o fotógrafo Ricardo Stuckert apresenta fotos de povo indígena isolado no estado do Acre.

Primeiramente, a reportagem demonstra desrespeito aos povos indígenas isolados ao expor publicamente indígenas que se mantém em isolamento por decisões próprias. O teor invasivo do sobrevoo e, consequentemente, das fotografias pode ser percebido no semblante de terror dos indígenas e na postura de ataque ao empunhar arcos e flechas contra a aeronave, conforme registrado na própria reportagem. Os efeitos de uma violência simbólica desse nível são social e culturalmente imensuráveis.

A instituição refuta argumentos que defendem que esse tipo de trabalho pode, de alguma maneira, contribuir para a defesa dos povos em questão, uma vez que atende somente aos interesses de venda de notícias sensacionalistas, não segue estratégias de proteção territorial e se omite diante dos direitos dos povos indígenas. Prova disso é o fato de que o trabalho foi realizado à revelia dos trâmites necessários ao controle de acesso a Terras Indígenas, inexistindo autorização de ingresso ou observância do direito de imagem, o que configura violação de direitos fundamentais preconizados na Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho.

A legislação indigenista tem mecanismos de proteção aos povos indígenas isolados e de recente contato, de maneira que a Funai tomará providências para a devida responsabilização dos autores e envolvidos, assim como para o resguardo dos povos indígenas em questão.

Fundação Nacional do Índio (Funai)
Brasília, 23 de dezembro de 2016

 

Fonte: Folha On Line
Link
Notícias Relacionadas »

Você é a favor da retirada da BRASKEM de Maceió?

77.5%
22.5%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp