17/09/2021 às 15h12min - Atualizada em 17/09/2021 às 15h12min

PROFESSOR JOSÉ ACIOLI FILHO

O inspirador das artes que me fazia bailar nos sonhos e “artear” a vida, para torná-la mais leve.

Miguel Conceição
Rede social pessoal do professor Acioli
Por Miguel Conceição 

    Ao começar a escrever estas singelas e humildes palavras para o imenso que é a figura do Professor Acioli, me veio à mente a história de uma bela flor que consegue crescer em meio aos lugares mais inóspitos e feios, trazendo um encanto ímpar ao local que ela floresce. Não me recordo o nome da flor, mas me lembro da inspiração: José Acioli Filho. Não é sobre mim estas palavras, mas é sobre ele.
        O ano era 2006 quando entrei para o Curso de Licenciatura Plena em Teatro da Ufal. Já o conhecia de cursos anteriores, já tínhamos laços estreitados pela vida em arte, numa relação que se construía na admiração. E agora oficialmente aluno da Ufal, algo muito pomposo para um filho de uma roceira, pude vivenciar suas aulas inspiradoras, cativantes, daquelas que fazia-me vencer dores e agruras da vida. Para mim, aulas como as dele, juntamente com as dos professores Nara Salles, Otávio Cabral e Lúcia Almeida, formavam esse combo inspirador das artes que me fazia bailar nos sonhos e “artear” a vida, para torná-la mais leve. Eram aulas-flor em meio a dor.

     Tuas aulas formaram em mim o artesão, apreciador da inspiração e do encanto; tuas lições me fizeram artista, solidificou em mim o apreço pela palavra viva, ser sincero e verdade, firmeza e docilidade, a água que amacia a massa e a dureza da obra pronta. Sentirei falta de tudo isso, mas na certeza de que fizestes a mim e a um mundaréu de pessoas o bem de sermos amoldados gente das artes, feito esculturas de tuas mãos.

       Ah meu professor! Fui teu amigo, mas não reivindico este lugar. Me prostro e me coloco no lugar do aluno, do discípulo a reverenciar seu mestre. Cada palavra tua era uma bela lição, daquelas que parecem ter vindo de um antigo pergaminho escrito pelos grandes filósofos. 

        Professor Acioli tinha o dom de nos fazer calar e ouvir! Não pelo arbítrio de uma sapiência pedante, mas nos fazia calar só com a força de sua sabedoria, com a doçura de suas palavras e o arquear de um sorriso pueril... mistura de sábio que conduz a um estado maior de entendimento com a docilidade de um menino afoito com a beleza do mundo.

        Vai não professor!!! Fica aqui! Fica conosco como um encantado, um exu, um anjo, um guia ou qualquer desses que nomeamos para nos aquecer a alma. Fica aqui com teu legado a nos inspirar. Porque precisamos tanto ainda! Carecemos para sempre de teu legado de sabedoria “gentilezas, afeto e respeito.”

Vai não professor!!!!

Vai não!!!!
 

Link
Relacionadas »

Você é a favor da retirada da BRASKEM de Maceió?

80.5%
19.5%
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...